Após “guia de sexo anal” para menores, revista sofre boicote e cancela versão impressa

Teen Vogue é (ou diz que é) uma revista de moda (?) para meninas de 11 a 17 anos. Seu alcance é internacional e sua marca é popular em países de língua inglesa. A revista fez sucesso e teve influência durante bastante tempo, mas vai agora cancelar a sua edição impressa. O grupo Condé Nast, dono da publicação, também vai diminuir a tiragem de outras revistas, como Vanity Fair, Vogue, Wired e The New Yorker.

Embora a empresa não tenha informado o motivo das mudanças, é chamativo que a decisão tenha ocorrido pouco depois da publicação de um artigo intitulado “Um guia para o sexo anal” na Teen Vogue – sim, na revista para meninas de 11 a 17 anos.

O artigo provocou reação veemente de pais e ativistas, incluindo um boicote liderado por uma mulher que se apresentou como “The Activist Mommy“, ou seja, a Mamãe Ativista. Em sua iniciativa, que repercutiu nos EUA graças ao eco das redes sociais, ela pediu aos pais:

“Vão até a loja de conveniência do seu posto de gasolina, até as mercearias locais, até as bibliotecas próximas, e peçam para falar com o gerente ou, de preferência, com o proprietário. Exijam que eles eliminem a Teen Vogue das prateleiras imediatamente”.
Não é conclusivo que o boicote tenha sido a causa principal da saída de cena da revista impressa, já que a Condé Nast pode apenas estar seguindo a tendência decadente de grande parte da mídia em papel. No entanto, é inegável a dose de pressão exercida por um boicote de repercussão internacional após um artigo de responsabilidade tão questionável.

A “Mamãe Ativista” divulgou uma declaração aplaudindo os esforços de todos os que aderiram ao boicote:

“Fiquei entusiasmada ao saber hoje que a revista Teen Vogue não terá mais a versão impressa. A editora, Condé Nast, a cancelou, enquanto manteve a impressão de outras revistas. A operação ‘Fora Teen Vogue’ foi uma campanha de pais preocupados, que não acreditam que sexo anal e brinquedos sexuais devam ser vendidos aos seus filhos sob o disfarce de uma revista de moda. Os editores da Teen Vogue, Elaine Welteroth e Phillip Picardi, ignoraram as nossas preocupações e zombaram da nossa campanha, mas nós lhes demos uma resposta da qual eles nunca se recuperaram. Que o mundo tome nota: se você tentar empurrar obscenidade para os nossos filhos, especialmente visando lucro, nós vamos destruir você”.
Em seu canal no YouTube, a Mamãe Ativista já tinha protestado com força contra o artigo, como neste vídeo de julho deste ano:

Precedente
Essa mesma revista já tinha sido alvo de um retumbante tapa na cara por conta de um artigo intitulado “O que oferecer a uma amiga depois do aborto” (!)

O que a revista possivelmente não esperava era a resposta que receberia da jovem estudante Autumn, de 16 anos, que botou os pingos nos is e gravou um vídeo detonando a leviandade daquele artigo.

 

Retirado de Aleteia